Archive for the ‘music’ Category

Balada para os Poetas Andaluzes de Hoje

June 22, 2011

Antologia Poética de Rafael Alberti  foi um dos primeiros livros que comprei na feira do livro. A recomendação veio de minha mãe – “Conheces? É o autor do poema dos poetas Andaluzes”. O poema, esse sim, conhecia através da música (com o mesmo nome) dos Aguaviva, mas como não conhecia Rafael Alberti, este fácilmente me teria passado despercebido entre tantos livros.

O grupo espanhol de Rock progressivo (classificação não unânime), Aguaviva, dedica então parte do seu album “Poetas andaluces de ahora” a este poema. Além de Rafael Alberti, outros poetas espanhóis vêm os seus interpretados por esta banda, cujas canções passaram pela censura do regimo de Franco.

Balada Para Os Poetas Andaluzes De Hoje

 

Que cantam os poetas andaluzes de agora?

Que olham os poetas andaluzes de agora?

Que sentem os poetas andaluzes de agora?

 

Cantam com voz de homem, mas onde estão os homens?

Com olhos de homem olham, mas onde estão os homens?

Com peito de homem sentem, mas onde estão os homens?

 

Cantam, e quando cantam parece que estão sós.

Olham, e quando olham parece que estão sós.

Sentem, e quando sentem parece que estão sós.

 

Será que a Andaluzia já não tem ninguém?

Que nos montes andaluzes já não há ninguém?

Que nos mares e campos andaluzes não há ninguém?

 

Já não haverá quem responda à voz do poeta?

Quem olhe o coração sem muros do poeta?

Tantas coisas morreram, que só resta o poeta?

 

Cantai alto. Ouvireis que outros ouvidos ouvem.

Olhai alto. Vereis que outros olhos olham.

Pulsai alto. Sabereis que outro sangue palpita.

 

Não é mais fundo o poeta em seu escuro subsolo encerrado.

O seu canto ascende ao mais profundo quando, solto no ar, já pertence a todos os homens.

 

sexta-feira 13

May 15, 2011

Friday 13th is regarded by many people as the very opposite of holyness and purity. Well, as for me, I wouldn’t mind even a bit to cross paths with a black cat …

This superstition of bad luck coming from who knows what (or why) somehow reminds me of how miserable we like to believe we are. The main difference is that by acting miserably we actually make our lives a lot worse. It’s not just a matter of luck or not – by constantly throwing away your opportunities of succeeding, what good will ever come of that?

I believe that if luck was actually a characteristic  owned by people, they should be able to throw a coin 1000 times and always guess  the outcome!

Moving on  towards the end … Because there are those out there who actually enjoy magic and witches (themes),  here’s the OP from Umineko no Naku Koro ni (うみねこのなく頃に, lit. When the Seagulls Cry). Besides being a murder mystery dōjin, it’s interesting to see how detective stories and magic mix up well.

Le cygne (o cisne)

November 14, 2010

Dois pianos e um violoncelo : são tudo que o movimento mais célebre da suite  Le carnaval des animaux ( O carnival dos animais) precisa para descrever românticamente  a imagem de um cisne, descendo elegantemente pelas águas . Esta peça do compositor francês Camille Saint-Saëns nasceu quando este passava férias numa pequena vila Austriaca. À excepção do cisne, nenhum dos outros 13 movimentos foi publicado enquanto Saint-Saëns foi vivo, por recear que lhe pudessem arruinar a reputação …

[apesar de ser uma criança prodígio – começou a escrever as suas peças com 3 anos e meio! – teve dificuldade em impor as suas primeiras obras por ser visto como um revolucionário. Valeu-lho o apoio do seu amigo Liszt que lhe permitiu apresentar a sua obra-prima lírica Sansão e Dalila. Depois da morte dos seus filhos e da posterior separação da mulher, levou uma vida errante preenchida de ceptcismo. Foi no entanto nos anos 80 que escreveu as suas maiores obras primas – de Henrique VIII ao Carnaval dos Animais] – in Guia Fnac Música Clássica

No início do século 20, o ballet  The Dying Swan foi coreagrafado ao som deste mesmo Cygne e surgiu como pièce d’occasion para a bailarina Anna Pavlova. E por sua vez, este grande ícone do bailado russo serviu ainda para inspirar o doce com o mesmo nome. E uma vez que o Natal está à porta, deixem-me perguntar : quantos de vós conhecem o doce Pavlova?  Acredita-se que foi criado em honra da bailarina e é normalmente servido por altura do Natal. Sendo maioritáriamente constituído por claras (o que é óptimo para gastar as claras depois de fazer um pastel de nata ou qualquer doce alentejano) e a sua cor predominante o branco, é normalmente acompanhado de frutos vermelhos da época. Experimentem usar amoras,morangos ou até mesmo romã ! Existem diversas variantes da receita, mas um dia destes deixo aqui no blog a receita lá de casa ^_^.

O último sonho de verão

November 5, 2010

Vivesse eu fora desta selva de betão e talvez… talvez tivesse ainda os meus sonhos de verão; e talvez aí, num longo entardecer me tivesse despedido do Verão com um longo e discreto sorriso (até pr’o ano!) recebendo de braços abertos a chegada do Outono.

Resta-me apenas a percepção de que o

tempo passa terrívelmente depressa. Ainda assim, guardo a imagem um tanto romântica, admito, dos Outonos da minha infância – quando olhava pausadamente o cair das folhas, amontoando-se em pequenas mantas de retalho de cores fortes e quentes. Só mesmo as árvores é que ainda se sabem despedir das estações – nós, pouco mais nos importa desde que faça sol e não chova.  Todas as coisas têm um ritmo – uma cadência natural – e nós ou já esquecemos o nosso, ou já o renegamos.

Felizmente, podemos sempre voltar a aprender a ver a beleza nas coisas. A bem ver, todas as estações têm inúmeros encantos a revelar àqueles que souberem ver.  Infelizmente, o tema é longo, por isso espero voltar a ele novamente. Até lá  – ficam algumas sugestões para lembrar o verão a todos aqueles que se encontram agrilhoados à rotina das cidades cinzentonas….

 

Cinema  :

Bom yeoreum gaeul gyeoul geurigo bom (Spring, Summer, Autumn, Winter… and Spring)

Este filme de contemplação – visualmente soberbo – dá grande atenção aos detalhes; não fossem os pequenos detalhes que adquirimos
ao longo das diversas estações (os vários patamares da nossa vida), o que nos torna únicos; mais humanos uns para com os outros e – sobretudo – mais humanos para com nós mesmos.

(… ) In such instances we see the full significance of the flower sacrifice. Perhaps the flowers appreciate the full significance of it. They are not cowards, like men. Some flowers glory in death – certainly the Japanese cherry blossoms do, as they freely surrender themselves to the winds. Anyone who has stood before the fragrant avalanche at Yoshino or Arashiyama must have realized this. For a moment they hover like bejewelled clouds and dance above the crystal streams; then, as they sail away on the laughing waters, they seem to say:“Farewell, O Spring! We are on to eternity.”

Kakuzo Okakura – chapter 6 – flowers

 

Música :

Linhas Cruzadas – Virgem Suta

Não pude deixar de incluir este videoclip por duas razões – sendo uma a qualidade da música e a outra o brilhante vídeo!( Sob o risco de parecer parcial). Quem teve a ideia para este video soube transmitir muito bem o que o alentejo significa pra muitas pessoas. Falo, por exemplo, da paisagem (as lindes e os trances de cereal – perdoem-me se estiver a escrever mal) e claro – do comer a melancia debaixo de uma azinheira !  Mais o que não consigo pôr em palavras – quem partilhar este sentimento sabe-lo-à muito bem.

 

Literatura :

A Midsummer Night’s Dream – William Shakespear (uma das primeiras traduções desta obra, em português, recebeu o nome de  “sonho de uma noite de S.João”, isto porque esta noite corresponde ao Solstício de Verão – sendo celebrada em vários países).

– É no verão que mais intimidade tenho com os livros – e por isso parece-me sobretudo injusto ter que escolher um. Ainda assim, nenhum tem um título tão apropriado como este. E o que é um sonho de uma noite de verão ? Para cada um de nós o Verão terá, certamente, os seus significados; para qualquer alentejano que se preze, o verão significa sobretudo calor. Noites  quentes e abafadas – sem um único bafo de vento – deitado na eira à espera que o vento sopre para separar o trigo do joio, ou a contemplar o céu estrelado. Não é isto que vamos encontrar nesta obra de Shakespear – antes um maravilhoso conto feérico, cheio de sonhos, amores, enganos e muita magia – mas também com alguma comicidade.  Uma leitura para qualquer altura do ano, seja como for!

Manga\Novel :

Spice & Wolf (狼と香辛料)  de …. (Autor’s blog)

Anime :

Natsu no Arashi !

(will update these latter)