Archive for the ‘culinária’ Category

pão-frito *-*

January 5, 2011

Sobrou pão? Está a começar a ficar duro e pouco apetecível ?  Só se fala na crise (económica) por isso aqui fica um bom incentivo à poupança!  Basta cortar o pão em cubinhos, fritá-los em azeite e fazer uma bela sopa de cenoura  (aka creme de cenoura). Fácil, apetitoso, barato e nutritivo. (O único senão é que agora ando um bocado viciado em pão-frito … como aperitivo, claro)

Advertisements

Le cygne (o cisne)

November 14, 2010

Dois pianos e um violoncelo : são tudo que o movimento mais célebre da suite  Le carnaval des animaux ( O carnival dos animais) precisa para descrever românticamente  a imagem de um cisne, descendo elegantemente pelas águas . Esta peça do compositor francês Camille Saint-Saëns nasceu quando este passava férias numa pequena vila Austriaca. À excepção do cisne, nenhum dos outros 13 movimentos foi publicado enquanto Saint-Saëns foi vivo, por recear que lhe pudessem arruinar a reputação …

[apesar de ser uma criança prodígio – começou a escrever as suas peças com 3 anos e meio! – teve dificuldade em impor as suas primeiras obras por ser visto como um revolucionário. Valeu-lho o apoio do seu amigo Liszt que lhe permitiu apresentar a sua obra-prima lírica Sansão e Dalila. Depois da morte dos seus filhos e da posterior separação da mulher, levou uma vida errante preenchida de ceptcismo. Foi no entanto nos anos 80 que escreveu as suas maiores obras primas – de Henrique VIII ao Carnaval dos Animais] – in Guia Fnac Música Clássica

No início do século 20, o ballet  The Dying Swan foi coreagrafado ao som deste mesmo Cygne e surgiu como pièce d’occasion para a bailarina Anna Pavlova. E por sua vez, este grande ícone do bailado russo serviu ainda para inspirar o doce com o mesmo nome. E uma vez que o Natal está à porta, deixem-me perguntar : quantos de vós conhecem o doce Pavlova?  Acredita-se que foi criado em honra da bailarina e é normalmente servido por altura do Natal. Sendo maioritáriamente constituído por claras (o que é óptimo para gastar as claras depois de fazer um pastel de nata ou qualquer doce alentejano) e a sua cor predominante o branco, é normalmente acompanhado de frutos vermelhos da época. Experimentem usar amoras,morangos ou até mesmo romã ! Existem diversas variantes da receita, mas um dia destes deixo aqui no blog a receita lá de casa ^_^.

scones

September 4, 2010

Scones

Este pequeno bolo (no caso de levar açúcar) de origem escocesa  goza de enorme popularidade nos países de influência britânica (UK, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Irelanda e USA),  sendo no entanto apreciado um pouco por todo o mundo (consequências da globalização?) .

Existem inúmeras variedades (incluíndo as receitas “de família” e como tal, guardadas em segredo),  sendo a receita aqui partilhada o clássico “buttermilk” scone. Como o nome indica, além da farinha e do fermento (os elementos básicos do scone), esta variante inclui ainda leite e manteiga. Para quem for apaixonado pela alquimia da cozinha (i.e  pelas reacções  quimicas envolvidas no processo culinário) sugiro que consulte o link para a receita da ciência-viva, de onde retirei as bases para esta receita.

Com manteiga e/ou com doce, não há melhor lanche do que uns scones acabados de fazer e um belo chá. Fica a receita (e a sugestão) – convidem alguém pra lanchar, abram os scones ainda a fumegar e aqueçam o ambiente com um belo chá preto, entre dois dedos de conversa . Não há nada melhor pra enfrentar as longas noites de inverno …

Ingredientes

  • 225g de farinha
  • 1 colher de chá de fermento para bolos
  • 50g de manteiga
  • 20gr de açúcar
  • 125ml de leite (pode-se roubar um pouco)
  • umas gotas de sumo de limão
  1. Misture bem a farinha com o fermento. Deite  a manteiga, fria, partida em pedacinhos. Com as pontas dos dedos ou uma vara de arames, mexer até ficar com um aspecto de areia.
  2. Junte o açúcar e mexa bem. Deite no leite, bem frio, umas gotas de sumo de limão e misturar com a farinha, mexendo com uma faca. Quando estiver tudo bem misturado, deite sobre a mesa e trabalhe com as mãos o mínimo de tempo possível, só até ficar ligado. Trabalhar sobre mesa, polvilhando com farinha, até adquirirem a consistência certa para a massa ser cortada (i.e – quando a massa deixar de se colar aos dedos).
  3. Deite a massa sobre a mesa polvilhada de farinha e com um rolo levemente enfarinhado estenda a massa até ficar  com cerca  de 2cm de altura. Com um corta bolachas com cerca de 5cm de diâmetro,  corte os scones. Polvilhe-os com farinha e arrume-os num tabuleiro de ir ao forno, também polvilhado de farinha.
  4. Leve imediatamente ao forno pré-aquecido a 220ºC, colocando o tabuleiro na parte superior do forno. Coza cerca de 12-15 minutos.

scones com doce de figo

tea and scones